Tire suas dúvidas sobre implantes dentários

Tire suas dúvidas sobre Implantes Dentários

 

Com o desenvolvimento da odontologia, a reabilitação protética dos pacientes tem encontrado nos implantes dentais a primeira opção para a resolução da maioria dos casos.

O bom resultado e sucesso da técnica dependem dentre outros fatores das condições bucal e sistêmica do paciente, da fabricação do implante utilizado, da correta técnica cirúrgica e protética desenvolvida pelo cirurgião-dentista.

Este manual visa informar os principais aspectos relacionados ao uso de implantes dentais, orientando de forma simples, direta e objetiva o paciente que necessita o seu uso, mas apresenta várias dúvidas a respeito. Esperamos que o mesmo seja de grande utilidade!

1- O que são implantes osseointegrados?

São “raízes” artificiais de titânio que utilizamos para a reposição de dentes perdidos. Sobre elas são confeccionadas próteses para o restabelecimento da estética e das funções mastigatórias, que devolvem a qualidade de vida social ao desdentado.

2- O que é o titânio?

É um material utilizado em ortopedia há muito tempo. Ele é um metal puro que não sofre corrosão quando inserido no corpo humano e não apresenta rejeição pelo sistema imunológico (biocompatível). Em contato com os tecidos orgânicos ele permite a osseointegração. Todos esses fatores são comprovados cientificamente.

3- O que é osseointegração?

É o processo pelo qual o implante se integra ao osso, apresentando-se fixo, sem mobilidade ou sintomas durante a mastigação. Ela ocorre quando o implante tem contato direto e estrutural como osso vivo e organizado enquanto recebe carga funcional (mastigação).

4- Quais as vantagens de se colocar implantes?

Recuperar estética e função mastigatória

Diminuir a sobrecarga em dentes remanescentes (equilíbrio de forças oclusais)

Frear a reabsorção óssea. Quando o dente é perdido, o osso de suporte perde sua finalidade principal e passa a ser reabsorvido pelo organismo. Essa reabsorção torna-se mais acentuada na maioria dos casos pela pressão das próteses removíveis, ou ainda, pela própria idade do paciente. Esse último fator associado aos problemas hormonais (como osteoporose) pode gerar uma perda na qualidade óssea. Dentro desse quadro as consequências estéticas e funcionais podem ser dramáticas, debilitando o paciente progressivamente. Atualmente existem técnicas regenerativas de osso e biomateriais que possibilitam a recuperação anatômica de áreas severamente reabsorvidas. Esses enxertos permitem a recuperação do paciente para que este possa se submeter à colocação dos implantes dentais com resultados mais satisfatórios. Os implantes podem deter esse processo de reabsorção, que pode gerar tanto problemas funcionais quanto psicológicos em indivíduos desdentados.

5- Como saber se sou um candidato ideal para a instalação de implantes?

Você pode ser considerado um candidato ideal caso:

– Falte um, mais que um ou até mesmo todos os seus dentes.

– Haja falta de estabilidade e retenção em sua prótese removível.

– Sua prótese não esteja confortável

– Sua prótese não seja esteticamente adequada.

– Sua prótese o deixe inseguro ou já lhe tenha causado algum problema.

– Haja dificuldade na mastigação dos alimentos.

A idade não é um fator determinante para a seleção do candidato ideal para a instalação de implantes, porém é recomendado não instalá-los antes dos 15-16 anos, até que o crescimento maxilar esteja completo.

Os pacientes totalmente desdentados, com idade avançada, são os mais favorecidos na implantodontia.

A quantidade e qualidade de seu osso maxilar serão alguns dos parâmetros que seu dentista deverá estudar.

6- Como saber se eu NÃO sou um candidato ideal para a instalação de implantes?

São poucas as contra-indicações para este tipo de tratamento.

– Doenças sistêmicas graves, por exemplo, a leucemia

– Pacientes com câncer que estão sendo tratados com radioterapia ou quimioterapia. Até que termine o tratamento e seu médico autorize a intervenção.

– Diabetes não controlada, o paciente diabético sempre estará mais exposto a infecções, mesmo se estivesse controlada, deverá ser submetido a um rigoroso acompanhamento pré e pós-operatório.

– Pacientes psiquiátricos.

– Crianças ou jovens até que terminem seu desenvolvimento (15-16 anos)

– Durante a gravidez

– Fumantes em geral. O fumo prejudica gravemente a saúde de seus dentes e também a saúde dos tecidos ao redor dos implantes. O fumo pode ser um agravante que acelera a perda de um elemento dental, consequentemente poderá causar a perda do seu implante.

– Dependentes químicos

Consideramos importante que qualquer pessoa que queira receber um tratamento com implantes esteja consciente que suas próteses precisarão de cuidados. A manutenção através de adequada higienização e de revisões periódicas são fundamentais.

7- Como é a instalação de implantes? Eu estou precisando e tenho medo de sentir dor…

Acredite, a maioria dos pacientes que nunca fizeram um implante dentário pensa como você! Trata-se de um procedimento bem simples, muito menos complicado do que uma extração dentária. Pode haver um pequeno desconforto que não o impedirá de trabalhar no dia seguinte. Cirurgias maiores necessitarão de um repouso maior. A imagem que o paciente tem de se colocar o implante no osso impressiona muito, mas a verdade é que no osso há pouca inervação, sendo assim, apenas a gengiva pode ter alguma sensibilidade, mas isso é resolvido tranquilamente através de medicação prévia prescrita pelo implantodontista. O paciente também pode optar por sedação consciente para ajudar a diminuir a ansiedade durante a cirurgia

8- Quanto tempo dura a cirurgia?

No caso de um implante unitário o tempo de instalação é de aproximadamente 30 minutos dependendo da habilidade do profissional. Então pode levar de uma a duas horas. Em casos de cirurgias maiores como enxertos e próteses tipo protocolo esse tempo pode ser estendido.

9- Quais os riscos cirúrgicos?

Antes da cirurgia o profissional deve pedir exames complementares ao paciente para analisar seu estado de saúde geral e condições locais. Não havendo contraindicações o prognóstico é favorável. O paciente é medicado previamente para ter um pós-operatório tranquilo. A cirurgia é normalmente realizada com anestesia local e pode ser usado um sedativo para amenizar a ansiedade caso julgue-se necessário. Seguindo as recomendações por escrito do profissional, a maioria dos pacientes não relata qualquer incomodo maior.

10- As próteses sobre implantes são melhores que as próteses convencionais?

Elas são melhores que as próteses totais (dentaduras) e próteses removíveis (pontes móveis) do ponto de vista funcional e estético, devido à estabilidade e ausência de grampos metálicos. E são melhores em caso de substituição de dentes perdidos em próteses fixas, pois facilita muito a higienização.

11- Quanto tempo vou ficar sem usar a prótese?

No caso do desdentado total, o período restringe-se a 3 a 4 dias após a cirurgia. Quando o implante é programado para ser realizado em duas etapas cirúrgicas, o profissional pode planejar e instalar uma prótese provisória. Casos em que são indicados a “carga imediata” a prótese provisória é instalada logo após a cirurgia.

12- Vai melhorar a minha capacidade mastigatória após a colocação de implantes?

Os implantes apresentam resultados funcionais muito superiores aos obtidos por próteses totais (dentaduras) e próteses parciais removíveis (pontes móveis). Os pacientes que usam dentadura há muito tempo e colocam implante sentem uma diferença muito significativa. Geralmente eles relatam que não deveriam ter adiado tanto tempo para trocá-las, devido à grande satisfação em voltar a mastigar e falar com segurança.

13- Vou ter alguma restrição na minha dieta após a colocação das próteses? E se fraturar algum dente da prótese, perderei o implante?

Para os casos de carga imediata de dentes unitários, o profissional deixa o dente sem contato com o dente antagonista. É recomendado certo cuidado até a osseointegração completa. Existem alguns alimentos que podem fraturar até mesmo dentes naturais, então deve-se evitá-los ou pelo menos ter um pouco de cuidado durante a mastigação. Um fator positivo é que o reparo de dentes fraturados sobre implantes é possível, sem o comprometimento destes.

14 – A estética das próteses sobre implantes é satisfatória?

Depende muito do sistema de implantes utilizado e das condições locais onde ele foi inserido. Alguns sistemas novos são indicados para a região anterior onde a necessidade de estética é maior. Em casos de substituição de próteses removíveis o resultado é excelente, pois elimina os grampos metálicos de retenção que na maioria das vezes são aparentes.

15- Preciso extrair um dente natural para colocar implante?

O dente natural sempre será melhor do que qualquer prótese. Devemos tentar preservá-lo sempre que ele ou somente sua raiz estejam em boas condições de continuar em função. Porém, em certas situações em que dentes naturais estão muito comprometidos por doença periodontal, fraturas, cárie extensa e lesões irreversíveis, a extração dentária estará indicada. Durante o planejamento o cirurgião-dentista deve expor ao paciente os custos e o prognóstico do tratamento. No caso de confecção de uma prótese fixa de 3 elementos para resolver o problema de um dente perdido o custo poderá ficar até mais elevado. Com a instalação de um implante os dentes adjacentes são preservados e há uma melhora significativa quanto à facilidade de higienização. Além disso, os implantes atuais possuem grande previsibilidade o que resulta num melhor prognóstico e ótima relação custo/benefício para o paciente.

16- Quais são os índices de sucesso do implante?

Os estudos demonstram que os implantes apresentam taxas de sucesso acima de 90% nos implantes e taxas superiores a 97% de sucesso nas próteses. Trata-se de um índice médio que varia de acordo com a região da boca em que ele foi instalado. Os índices de falha em desdentados totais inferiores são próximos a 0% e pode chegar a 33% na região posterior da maxila (arcada superior) quando o osso tiver pouca densidade ou pequena quantidade onde utilizamos implantes mais curtos.

O sucesso da técnica depende bastante da qualidade e procedência do implante utilizado. Mas essas características devem ser aliadas a um conjunto de fatores como: o planejamento da técnica cirúrgica, o período de cicatrização e a instalação de uma prótese adequada. Por isso, um profissional habilitado pode alcançar excelentes resultados.

17- Existe garantia de sucesso no tratamento com implantes?

A alta taxa de sucesso já é uma boa garantia, mas devido aos processos biológicos de cada organismo não podemos garantir que haverá sucesso absoluto. Para isso, é recomendado que o profissional faça um bom diagnóstico indicando o tratamento ou não, e oferecer orientações e recomendações por escrito ao paciente. É importante também que forneça um “Termo de Garantia” anexo ao contrato, para que o paciente se sinta seguro nos casos onde ocorrer uma falha, para que o procedimento seja refeito.

18- Quanto tempo dura um implante? Qual sua vida útil?

Pode-se afirmar que em 95% dos casos, se os implantes não foram perdidos nos dois primeiros anos de uso, durarão por grande parte da vida do paciente.

19- Por quê ocorrem as falhas?

A maioria das falhas ocorre quando o caso não é exatamente indicado para implantes. Tentar a colocação de implantes em situações não favoráveis deve ser uma opção consciente do profissional e do paciente, após a avaliação de todas as alternativas.

20- O que acontece se o implante apresentar alguma mobilidade após a colocação da prótese?

Significa a perda do implante. O implante osseointegrado deve se apresentar estável. Toda mobilidade é progressiva e indica o insucesso no tratamento. Nesses casos a remoção imediata do implante está indicada.

21- Pelo fato de ser um material estranho, existem riscos de rejeição ou de contaminação com vírus?

Não ocorre rejeição, pois o titânio é um material imunologicamente inerte. Quanto à contaminação, o profissional deve usar sempre materiais previamente esterilizados para evitar que ela ocorra por via cirúrgica. Implantes de boa procedência não oferecem riscos de contaminação, já os de procedência duvidosa podem ter falhas no processo de fabricação e assim, acabam comprometendo o resultado esperado no tratamento.

22- E se o implante falhar, qual o melhor procedimento?

A melhor alternativa é refazê-lo, principalmente se houver osso suficiente, pois o osso após a remoção do implante,tende a se tornar um pouco mais denso. Normalmente em áreas de maior risco de perda o paciente deve ser convenientemente avisado previamente à cirurgia.

23- Tenho prótese superior total. Gostaria de saber da possibilidade de ter uma prótese sem a porção do palato (céu da boca). Quantos implantes tenho que fazer?

A “overdenture” sem palato é uma ótima opção, principalmente no ganho em fonética e melhoria no paladar. Para fazê-la são necessários ao menos 4 implantes. Existem implantes que são realizados em ambiente hospitalar para casos onde o paciente não possui quantidade óssea suficiente, são chamados “implantes zigomáticos”. Se a opção desejada for uma prótese fixa sobre implantes, sem a porção gengival em resina cor-de-rosa, o ideal é que se façam no mínimo 6 implantes.

24- Gostaria de saber se quem tem predisposição para placa bacteriana pode fazer implante.

Sim, geralmente são essas pessoas que perdem os dentes prematuramente por problemas periodontais. Mas é necessário que o processo seja controlado previamente para o sucesso do tratamento.

25- É exagero por parte do dentista pedir uma tomografia computadorizada para análise do osso?

Não, especialmente no arco superior é de extrema importância. Um estudo detalhado com o uso de tomografia computadorizada evita surpresas na hora da cirurgia, e isso fornece maior segurança ao profissional pela seleção prévia dos implantes e ao paciente.

26- Se não existir osso suficiente, existem maneiras de aumentar a quantidade de osso disponível?

Sim. Na área da maxila (superior) podem ser feitas cirurgias para aumento de rebordo e/ou levantamento do seio maxilar. Na mandíbula pode ser feito o desvio do nervo alveolar inferior e/ou regenerações ósseas com enxertos.        Os tipos de enxertos podem ser:

-autógenos (tirados do próprio paciente)

-homógenos (banco de ossos)

-alógenos (matriz de osso bovina)

27- É caro um tratamento deste tipo?

Não, em muitos casos o custo é inferior ao tratamento de uma reabilitação convencional, o valor varia de acordo com o número de implantes necessários e o tipo de prótese a ser reabilitada. O resultado obtido dependerá não só da técnica, mas da qualidade dos produtos empregados e da experiência do profissional que realiza o trabalho.  No entanto, atualmente a técnica é muito mais acessível em relação a épocas anteriores, em que a tecnologia empregada era exclusivamente importada e de alto custo.

De qualquer forma, a recuperação de uma força de mastigação satisfatória e de um sorriso que reintegra o paciente socialmente, faz com que muitos dos pacientes que se submetem ao tratamento afirmam que foi o melhor investimento em toda a sua vida!

28- Devo voltar ao dentista depois de realizar o tratamento odontológico com implantes?

É necessário no mínimo um controle clínico radiográfico a cada ano. É também uma obrigação do paciente comparecer a estes controles para receber a garantia prometida pelo profissional.

Dra. Raquel Cristina Faria

(47)3028-0603

(47)99229-6696 (WhatsApp)

 

Sobre Nós

Olá! Meu nome é Raquel Cristina Faria, sou cirurgiã-dentista formada há 22 anos pela Universidade Estadual Paulista (UNESP) Araraquara.

Sou também especialista em Prótese Dentária pela USP-Bauru e em Implantodontia pelo Instituto IPPO de Balneário Camboriú.

Atuo na área da Odontologia Estética e Funcional.

Na área de Reabilitação Oral inclui os seguintes tratamentos:

  • Próteses Totais Convencionais Caracterizadas com dentes importados
  • Próteses Parciais Removíveis provisórias e definitivas
  • Próteses fixas em porcelana e sobre implante
  • Coroas, facetas e lentes de contato em Porcelana
  • Planejamento Digital do Sorriso
  • Placas de Ronco e Apneia do Sono
  • Tratamento de Dor Miofacial e Bruxismo
  • Restaurações Estéticas anteriores e posteriores
  • Tratamento Endodôntico

Tenho meu consultório no Bairro Anita Garibaldi desde 1999. Antes ele estava na Rua Plácido Olímpio de Oliveira, e agora estou na Rua Pedro Mayerle, 119, desde 2008.  Essa rua fica atrás da Maternidade Darcy Vargas na cidade de Joinville/SC

Apesar de vários consultórios odontológicos nessa região, isso nunca foi um problema. Nós nos damos muito bem, e temos nosso público alvo específico.

Eu atendo pacientes desse querido bairro e também de vários outros, além de cidades próximas. Também tive a satisfação de atender pacientes que moram fora do Brasil e quando veem visitar a família aproveitam para cuidar de sua saúde bucal!

Será um grande prazer tê-lo(a) conosco! Nosso atendimento é personalizado e humanizado, esse é o nosso grande diferencial!

Caso queiram tirar alguma dúvida, basta nos enviar uma mensagem por aqui: CONTATO

Responderemos sua dúvida com o maior prazer!

Fones (47) 3028-0603

WhatsApp (47)99229-6696

 

 

Blog Dra. Raquel Faria

Implante Dentário Dói

Implante Dentário Dói? No consultório e na internet muitas pessoas fazem essa pergunta: “Implante Dentário Dói?” O medo de ir ao dentista ainda é muito presente. Muito se deve às experiências passadas que podem ter causado traumas. Já atendi muitos pacientes assim, que chegam relatando histórias absurdas. Dentistas Práticos Antigamente havia muitos dentistas práticos. Ouço …

Implante Dentário Vídeo Demonstrativo

Implante Dentário Vídeo Demonstrativo    Implante dentário  vídeo demonstrativo: é vídeo um pouco antigo, mas mostra algumas etapas importantes para esclarecimento dos pacientes. Atualmente utilizamos um menor número de fresas durante a instalação do implante dentário. Em alguns casos utilizamos no máximo duas, isso depende muito da qualidade do tecido ósseo. Por isso é uma …

Contato

alt="whatsapp Dra Raquel Faria"